Skip to main content

Roubo de cargas cresceu em 2023 no Brasil, alerta Relatório

roubo de carga, estatísticas,acidentes de trânsito

Roubo de cargas cresceu em 2023 no Brasil, alerta Relatório

roubo de carga, estatísticas,acidentes de trânsito

Com base nos dados coletados, especialistas em gestão de riscos preveem um crescimento de 1,1% no roubo de cargas para o ano de 2024, totalizando 17.298 eventos.  No ano de 2023, os resultados econômicos do Brasil superaram as expectativas de especialistas e do próprio governo. Contrariando a projeção de uma inflação de 5,42%, o país encerrou o ano com uma taxa de 4,62%.

Além disso, os juros básicos (SELIC), que eram esperados em 12,25%, ficaram em 11,75% e o Produto Interno Bruto (PIB) teve um crescimento de 3%, quando a previsão era inferior a 1%. Esse desempenho positivo se deve à recuperação do consumo, ao setor de serviços e ao destaque da Agricultura, que contribuiu para um crescimento acima do esperado e com isso, mais produtos sendo transportados. Para este ano, a tendência é que o setor de logística movimente ainda mais as estradas, principal meio de transporte no país.

Com bons resultados, os desafios na área da segurança se tornam ainda maiores.  “Além do prejuízo financeiro causado pelo valor da carga roubada, há também o aumento das taxas de seguros, interrupções no fornecimento, gastos extras com frete, altos investimentos em segurança e restrições operacionais”, explica o Gerente de Inteligência,  Reginaldo Catarino.

O Centro de Inteligência detectou que a maior concentração de roubos de carga (88%) ocorreu na região que abrange os estados de São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Paraná, Rio Grande do Sul e Goiás. Essa informação corrobora a percepção de que as áreas de maior desenvolvimento econômico e logístico são alvos preferenciais dos criminosos.

No entanto, uma mudança significativa em relação ao ano anterior foi observada nas demais regiões do país. Enquanto o Nordeste ocupou a segunda posição em 2022, no ano seguinte, o Sul se posicionou como a segunda região com mais ocorrências de roubo de carga. Essa inversão pode estar relacionada às diferentes estratégias adotadas pelos criminosos e ao aumento da vigilância e segurança nos estados nordestinos.

São Paulo e Rio de Janeiro se mantiveram como os principais contribuintes para os altos números de roubo de carga no país. Juntos, esses dois estados responderam por 70% de todos os casos registrados em 2023, porém, se comparado a 2022, houve uma leve diminuição. Já São Paulo, sozinho, teve 4% a mais de ocorrências, demonstrando a persistência e a dificuldade de combate ao crime no estado.

Locais, horários e cargas roubadas

No que diz respeito aos dias da semana com maior incidência de roubo de carga, terça-feira se destacou como o dia com maior risco, representando 22% dos incidentes. “Essa mudança em relação a 2022, quando quarta e quinta-feira lideravam os índices, reflete a concentração de movimentação de cargas durante os dias úteis e oferece oportunidades para os criminosos explorarem vulnerabilidades na segurança das operações logísticas”, analisa Reginaldo.

Já em relação aos horários, os roubos de carga continuaram prevalecendo pela manhã, entre 6h e 12h, representando 50% dos casos. No entanto, chamou a atenção o aumento significativo de roubos no período da tarde, das 12h às 18h, que passou de 6% para 31% em 2023. Ainda segundo o especialista, esse aumento pode ser explicado pelo fato de os criminosos esperarem os motoristas fazerem paradas para descanso e, assim, terem a oportunidade de abordá-los sem levantar suspeitas.

Quanto aos tipos de produtos mais visados pelos criminosos, os dados mostram pouca variação em relação ao ano anterior. Os produtos diversos continuaram sendo os mais roubados, representando 43% dos casos, seguido por alimentos e bebidas (com 6% a menos de incidência em comparação a 2022) e tabaco. Houve um aumento de 4 pontos percentuais nos roubos de eletrônicos em 2023, ressaltando a atratividade desse tipo de carga para os criminosos.

Um dado preocupante revelado pela análise é o aumento dos roubos em ruas e rodovias, que demonstra uma disseminação dos diferentes tipos de roubos em que as gangues atuaram em 2023. Além disso, o sequestro de carga continua sendo o tipo de ação criminosa mais recorrente, representando 84% dos casos. A fraude, que envolve indícios de facilitação de funcionários diretos ou indiretos das operações de transportes, registrou um aumento significativo de 9 pontos percentuais em relação ao ano anterior.

Diante desses dados, fica evidente a necessidade de ações mais efetivas por parte das autoridades e das empresas para combater o roubo de cargas no Brasil. “Medidas como o aumento da segurança nas estradas, investimento em tecnologia de rastreamento e inteligência artificial, e ações de conscientização e treinamento para os profissionais envolvidos no transporte de mercadorias são fundamentais para reduzir o problema”, conclui Reginaldo.

Fonte: ohoje.com/noticia/cidades/n/1570603/t/roubo-de-cargas-cresceu-48-em-2023-no-brasil-alerta-prf/

roubo de carga, estatísticas,acidentes de trânsito

Mais notícias

roubo de carga, estatísticas,acidentes de trânsito