Skip to main content

O aumento alarmante do roubo de carga – Uma pirataria moderna que ameaça a cadeia de abastecimento

Cargo Theft
roubo de carga, estatísticas,acidentes de trânsito

O aumento alarmante do roubo de carga – Uma pirataria moderna que ameaça a cadeia de abastecimento

roubo de carga, estatísticas,acidentes de trânsito
Cargo Theft

In 2023, cargo theft surged with over $130 million in goods stolen, a 57% increase from the previous year. This modern-day piracy targets valuable and easily sellable goods. Companies are investing in preventative measures and technology to combat the threat.

In the dawn of 2023, the shadow of cargo theft stretched long and wide across the United States, marking a significant surge in criminal activity that put the integrity of the supply chain to the test. Over $130 million worth of goods vanished into thin air, leaving companies scrambling and security experts puzzled. While numbers on a page, this staggering figure represents a 57% increase in incidents compared to the previous year, signaling a growing threat that looms over businesses and consumers alike. I delve into this underworld, exploring the who, what, when, and where of this modern-day piracy that’s disrupting our supply chains.

The Anatomy of a Surge

The year 2023 will be remembered for many things, but in the logistics and security sectors, it will be marked by the alarming rise in cargo theft. According to CargoNet, a Verisk company, the total reported losses neared the $130 million mark. Yet, the true scale of this epidemic is likely even grander, shadowed by a veil of underreporting. Criminals, drawn like moths to a flame by the low risk and high reward of cargo theft, have found fertile ground in the sprawling logistical networks that crisscross the nation.

Behind the Curtain: Motives and Modus Operandi

The allure of cargo theft lies in its simplicity and the perceived low risk compared to other forms of theft. Thieves target goods that are not only valuable but also easily sellable, ranging from electronics to pharmaceuticals. The operations can be as straightforward as hijacking a truck during transit or as complex as infiltrating a supply chain to divert goods before they even reach their intended destination. The sophistication of these criminal enterprises has grown, employing technology and insider knowledge to outmaneuver security measures. However, it’s not just the methods that are evolving. The response from the business community has been swift and innovative, focusing on prevention rather than cure.

A Call to Arms: Combating the Threat

In response to the tidal wave of thefts, companies are fortifying their defenses. Investment in preventative measures and new technologies has spiked, with digitally locking systems and real-time tracking becoming the new standard in cargo security. These tools not only deter theft but also aid in the recovery of stolen goods, providing a glimmer of hope in what seems like an endless battle against crime. The collective effort of businesses, law enforcement, and security experts is a testament to the resilience and adaptability of the supply chain in the face of adversity. Yet, the question remains: Can technology outpace the cunning of thieves, or are we merely plugging leaks in a dam that’s about to burst?


Em 2023, o roubo de carga aumentou, com mais de 130 milhões de dólares em mercadorias roubadas, um aumento de 57% em relação ao ano anterior. Esta pirataria moderna tem como alvo bens valiosos e facilmente vendáveis. As empresas estão investindo em medidas preventivas e tecnologia para combater a ameaça.

No início de 2023, a sombra do roubo de carga estendeu-se por todos os Estados Unidos, marcando um aumento significativo na actividade criminosa que colocou à prova a integridade da cadeia de abastecimento. Mais de US$ 130 milhões em mercadorias desapareceram no ar, deixando as empresas em dificuldades e os especialistas em segurança perplexos. Embora sejam números numa página, este número surpreendente representa um aumento de 57% nos incidentes em comparação com o ano anterior, sinalizando uma ameaça crescente que paira tanto sobre as empresas como sobre os consumidores. Mergulho neste submundo, explorando quem, o quê, quando e onde desta pirataria moderna que está a perturbar as nossas cadeias de abastecimento.

A anatomia de uma onda

O ano de 2023 será lembrado por muitas coisas, mas nos setores de logística e segurança será marcado pelo aumento alarmante de roubos de cargas. De acordo com a CargoNet, uma empresa da Verisk, o total de perdas relatadas se aproximou da marca de US$ 130 milhões. No entanto, a verdadeira escala desta epidemia é provavelmente ainda maior, encoberta por um véu de subnotificação. Os criminosos, atraídos como mariposas pela chama pelo baixo risco e pela alta recompensa do roubo de carga, encontraram terreno fértil nas extensas redes logísticas que atravessam o país.

Atrás da Cortina: Motivos e Modus Operandi

O fascínio do roubo de carga reside na sua simplicidade e na percepção de baixo risco em comparação com outras formas de roubo. Os ladrões têm como alvo produtos que não são apenas valiosos, mas também facilmente vendáveis, desde produtos eletrônicos até produtos farmacêuticos. As operações podem ser tão simples como o sequestro de um camião durante o trânsito ou tão complexas como a infiltração numa cadeia de abastecimento para desviar mercadorias antes mesmo de chegarem ao destino pretendido. A sofisticação destas empresas criminosas cresceu, recorrendo à tecnologia e ao conhecimento interno para contornar as medidas de segurança. No entanto, não são apenas os métodos que estão evoluindo. A resposta da comunidade empresarial tem sido rápida e inovadora, centrando-se na prevenção e não na cura.

Um chamado às armas: combatendo a ameaça

Em resposta à onda de roubos, as empresas estão a fortalecer as suas defesas. O investimento em medidas preventivas e em novas tecnologias disparou, com sistemas de bloqueio digital e rastreamento em tempo real tornando-se o novo padrão em segurança de carga. Estas ferramentas não só impedem o roubo, mas também ajudam na recuperação de bens roubados, proporcionando um vislumbre de esperança no que parece ser uma batalha sem fim contra o crime. O esforço colectivo das empresas, das autoridades responsáveis ​​pela aplicação da lei e dos especialistas em segurança é uma prova da resiliência e da adaptabilidade da cadeia de abastecimento face à adversidade. No entanto, a questão permanece: será que a tecnologia conseguirá superar a astúcia dos ladrões ou estaremos apenas tapando fugas numa barragem que está prestes a rebentar?

Fonte: bnnbreaking.com/breaking-news/crime/the-alarming-surge-in-cargo-theft-a-modern-day-piracy-threatening-the-supply-chain

roubo de carga, estatísticas,acidentes de trânsito

Mais notícias

roubo de carga, estatísticas,acidentes de trânsito