Skip to main content

Após meses de investigação, polícia do Paraná desarticular “empresa do crime”

roubo de carga, estatísticas,acidentes de trânsito

Após meses de investigação, polícia do Paraná desarticular “empresa do crime”

roubo de carga, estatísticas,acidentes de trânsito
roubo de carga, estatísticas,acidentes de trânsito,

Conforme a polícia, o grupo criminoso funcionava como uma empresa, na qual cada funcionário teria uma tarefa específica a desempenhar.

    Tribuna do PR – Em seis meses investigando uma quadrilha extremamente perigosa e violenta, a polícia conseguiu prender 34 pessoas. Dessas, oito foram localizadas nesta quarta-feira (12) em uma grande operação deflagrada pela Delegacia de Furtos e Roubos (DFR), desde as 6h.

De acordo com o delegado Matheus Laiola, os indivíduos são suspeitos de praticar diversos crimes. “Eram ações múltiplas, desde roubo a residências, carga de caminhões com o motorista refém, e ainda tráfico de drogas. Tudo sob orientação de um chefe”, disse.

No entanto, a quadrilha foi desarticulada e o chefão também foi parar atrás das grades. “Hoje nós cumprimos 17 mandados judiciais em Curitiba e nos municípios de Araucária e Mandirituba. Conseguimos prender oito pessoas, entre elas o líder da quadrilha, que era o Eder Eduardo de Oliveira”, afirmou.

Organização criminosa

Ainda segundo o delegado, grande parte das ações criminosas ocorriam nas estradas que cortam o Paraná, onde a quadrilha roubava grandes carregamentos de diferentes produtos.

 “Eles roubavam e depois revendiam tudo, gerando grandes lucros para a quadrilha. Descobrimos até o desvio de uma carga de medicamentos para o tratamento de câncer, que a quadrilha teve dificuldade para negociar por ser algo muito específico”, comentou Matheus.

Um detalhe que também chamou a atenção é o fato de o grupo funcionar como uma empresa, na qual cada funcionário teria uma tarefa específica a desempenhar. “Um era responsável pela abordagem armada ao caminhoneiro, outro realizava o desligamento dos sistemas de rastreamento, um cuidava apenas do local do cativeiro e ainda havia o pessoal especializado na venda”, explicou.

Para desligar os sistemas de rastreamento, a quadrilha utilizava um equipamento chamado “Jammer”, que bloqueava todos os sinais de GPS e celular. “Assim, a empresa rastreadora da carga ficava completamente sem informações”.

 

Porém, a partir de agora serão os suspeitos que ficarão “sem sinal” na cadeia, onde responderão por associação criminosa, porte ilegal de arma de fogo, cárcere privado e roubo.

Presos na ação desta quarta-feira (12):

– Eder Eduardo de Oliveira, 34 anos.
– Rogério William Vitorino, 32 anos.
– Clayton de Oliveira Gouvea, 30 anos.
– Edson Abelardo Cavalcante Junior, 34 anos.
– Emerson Conrado dos Santos, 37 anos.
– Cledir Baseggio Trindade Junior, 34 anos.
– Jony Veiga do Prado, 28 anos.
– Vitor Kauan Miranda Romão, 22 anos.

Foragidos:

– Waldir Aparecido de Camargo Junior, 21 anos.
– Leandro Diego de Lima, 31 anos.
– Renata Niwa, 20 anos.

Fonte: http://www.tribunapr.com.br/noticias/seguranca/apos-meses-de-investigacao-policia-do-parana-desarticular-empresa-do-crime/

roubo de carga, estatísticas,acidentes de trânsito

Mais notícias

roubo de carga, estatísticas,acidentes de trânsito
roubo de carga, estatísticas,acidentes de trânsito,