Conforme a polícia, o grupo criminoso funcionava como uma empresa, na qual cada funcionário teria uma tarefa específica a desempenhar.

    Tribuna do PR – Em seis meses investigando uma quadrilha extremamente perigosa e violenta, a polícia conseguiu prender 34 pessoas. Dessas, oito foram localizadas nesta quarta-feira (12) em uma grande operação deflagrada pela Delegacia de Furtos e Roubos (DFR), desde as 6h.

De acordo com o delegado Matheus Laiola, os indivíduos são suspeitos de praticar diversos crimes. “Eram ações múltiplas, desde roubo a residências, carga de caminhões com o motorista refém, e ainda tráfico de drogas. Tudo sob orientação de um chefe”, disse.

No entanto, a quadrilha foi desarticulada e o chefão também foi parar atrás das grades. “Hoje nós cumprimos 17 mandados judiciais em Curitiba e nos municípios de Araucária e Mandirituba. Conseguimos prender oito pessoas, entre elas o líder da quadrilha, que era o Eder Eduardo de Oliveira”, afirmou.

Organização criminosa

Ainda segundo o delegado, grande parte das ações criminosas ocorriam nas estradas que cortam o Paraná, onde a quadrilha roubava grandes carregamentos de diferentes produtos.

 “Eles roubavam e depois revendiam tudo, gerando grandes lucros para a quadrilha. Descobrimos até o desvio de uma carga de medicamentos para o tratamento de câncer, que a quadrilha teve dificuldade para negociar por ser algo muito específico”, comentou Matheus.

Um detalhe que também chamou a atenção é o fato de o grupo funcionar como uma empresa, na qual cada funcionário teria uma tarefa específica a desempenhar. “Um era responsável pela abordagem armada ao caminhoneiro, outro realizava o desligamento dos sistemas de rastreamento, um cuidava apenas do local do cativeiro e ainda havia o pessoal especializado na venda”, explicou.

Para desligar os sistemas de rastreamento, a quadrilha utilizava um equipamento chamado “Jammer”, que bloqueava todos os sinais de GPS e celular. “Assim, a empresa rastreadora da carga ficava completamente sem informações”.

 

Porém, a partir de agora serão os suspeitos que ficarão “sem sinal” na cadeia, onde responderão por associação criminosa, porte ilegal de arma de fogo, cárcere privado e roubo.

Presos na ação desta quarta-feira (12):

– Eder Eduardo de Oliveira, 34 anos.
– Rogério William Vitorino, 32 anos.
– Clayton de Oliveira Gouvea, 30 anos.
– Edson Abelardo Cavalcante Junior, 34 anos.
– Emerson Conrado dos Santos, 37 anos.
– Cledir Baseggio Trindade Junior, 34 anos.
– Jony Veiga do Prado, 28 anos.
– Vitor Kauan Miranda Romão, 22 anos.

Foragidos:

– Waldir Aparecido de Camargo Junior, 21 anos.
– Leandro Diego de Lima, 31 anos.
– Renata Niwa, 20 anos.

Fonte: http://www.tribunapr.com.br/noticias/seguranca/apos-meses-de-investigacao-policia-do-parana-desarticular-empresa-do-crime/

By Notícias e Artigos

Canal de notícias e publicação de artigos de empresas, profissionais focados em gestão de riscos e prevenção de perdas dos setores privado e público.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.