Segurança Patrimonial: PRECISAMOS INOVAR

Autor: Luis Felipe Vilela

O bastão de ronda morrerá. É só questão de tempo!

Head Of Sales @ FindMe Tecnologia

As tecnologias e os produtos estão evoluindo dia após dia. Empresas, que antes dominavam o mercado, estão caindo aos pedaços por continuarem na zona de conforto.

Diversos mercados que eram dominados por grandes companhias, como o das máquinas fotográficas (Kodak) e aluguéis de filme (Blockbuster), são a prova disso.

A inovação é um perigo.

Ela pode destruir companhias e revirar mercados estagnados. Porém, em prol do aprimoramento da experiência do consumidor.

As inovações surgem com um objetivo: atender de uma melhor maneira uma necessidade que já era atendida anteriormente. Ou, atender uma necessidade que ainda não é atendida (essas, são as inovações mais disruptivas).

Acompanhamos a todo momento a corrida pela evolução da tecnologia em diversos mercados, em quase todos na realidade. Porém, existe um mercado em específico que se mantém desatualizado e resistente à evolução que a tecnologia pode proporcionar.

Este mercado é o de Segurança Patrimonial.

As empresas utilizam as mesmas ferramentas há mais de 20 anos. Essas ferramentas, durante todo esse período, apresentaram pouquíssima, ou nenhuma, evolução

Que problema isso acarreta para as empresas prestadoras de serviço nesse segmento?

O problema é a má prestação de contas aos clientes, pois as necessidades dos seres humanos mudam a todo momento.

  • Como acompanhar as exigências do mercado se sua operação está estagnada?
  • Como se manter atualizado se sua equipe está na zona de conforto?
  • Como atender bem um cliente se as informações que você tem capacidade de fornecer não são o suficiente?

Diariamente, conversamos com diversas empresas de Segurança Patrimonial que presam por tecnologia em seu serviço (é até mesmo um “valor” de sua empresa). No entanto, na prática, poucas efetivamente o fazem.

Mas, lembrem-se: a evolução tarda, mas não falha!

Em breve, até mesmo os mercados mais estagnados serão devorados pelo vírus da inovação.

Cabe às empresas, presentes nesse segmento, se anteciparem e participarem do processo de evolução. Caso contrário, ficarão na memória.

Fico à disposição para bater um papo sobre como as empresas de Segurança Patrimonial podem inovar em suas operações para agregar valor ao seu serviço e, principalmente, à seus clientes.e

Fonte: https://www.linkedin.com/in/lfvilela

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*