Riscos: uma questão de vida ou morte

Autor: Pedro Sá

Consultor / Fundador N13 | Especialista em Inteligência | Analista de Defesa e Gestor Estratégico

Muitos de nós já ouvimos falar que nossa vida é permeada por riscos. Quando vamos escolher uma carreira estamos sob risco, quando vamos escolher um cônjuge estamos sob risco, quando vamos comprar ou alugar um imóvel estamos sob risco… Ou seja, a maioria (para não generalizar) das nossas decisões estão intrinsecamente ligadas a algum tipo de risco. Isso é inerente ao processo decisório.

Mas o que de fato é um risco? Você já parou para pensar nisso? Vamos começar pela definição. O Dicionário Online de Português Dicio apresenta risco como:

1.      Perigo; probabilidade ou possibilidade de perigo: estar em risco (Do francês risque);

Isto é, o risco está ligado a uma possibilidade de perigo. Lembram dos exemplos que citei? Quando se escolhe uma carreira, um parceiro ou um imóvel corremos o perigo de fazemos uma escolha ruim. E se você já fez escolhas ruins sabe como algumas consequências são impactantes. (Uma observação: se você ainda não fez nenhuma escolha ruim na vida, por favor, pare de ler esse artigo e vá viver… Rsrs).

Apesar de associarmos riscos com o perigo, quero te chamar atenção para as duas palavras que o dicionário utilizou na definição: PROBABILIDADE e POSSIBILIDADE. Ambas são parecidas, sendo que a primeira é mais íntima da tendência matemática e a segunda é uma característica de algo que é possível. Sabe o que isso significa?

Assim como corremos o perigo quando assumimos posições ou opções que possuem riscos, igualmente podemos encontrar nesses mesmos riscos a probabilidade ou a possibilidade de acerto! Em resumo: Riscos podem ser ameaças ou oportunidades. E te digo mais: essa proporção pode ser mais favorável para nós do que imaginamos. Como? Vamos voltar aos exemplos que dei no começo.

  1. Quando você vai escolher uma carreira, uma faculdade ou um curso, o que você faz (ou deveria fazer)? Você pesquisa sobre o curso, procura egressos, analisa o mercado de trabalho… Você obtém informações e planeja seu futuro.
  2. Quando você escolhe um parceiro de relacionamento, você pesquisa sobre ele, suas intenções, seus sonhos, seus gostos, sua visão de vida… Você obtém informações e planeja seu futuro.
  3. Quando você vai comprar ou alugar um imóvel, você pesquisa sobre a região, sobre o condomínio, sobre os meios de transportes próximos, sobre as condições gerais do imóvel, sobre condições de pagamento… Mais uma vez, você obtém informações e planeja seu futuro.

Pegou a ideia?

Quando nós PRODUZIMOS CONHECIMENTO sobre algo e nos PLANEJAMENTOS para uma tomada de decisão, automaticamente reduzimos a probabilidade ou a possibilidade de perigo. E precisamos usar isso cada vez mais ao nosso favor! Precisamos produzir conhecimento útil que nos ajude a fazer melhores escolhas, assim como também precisamos planejar bem nosso caminho até o objetivo que desejamos.

Hoje quero te dizer que assumir riscos pode ser uma questão de vida ou morte (profissional, pessoal, financeira…). Faça escolhas melhores e diminua as ameaças que podem te cercar em um processo decisório através de um conhecimento útil e de planejamento bem realizado. Nesse caso, “viver” será consequência natural dos fatos.

Ou simplesmente escolha “morrer” estagnado ao não assumir riscos ou por resultados de escolhas impulsivas.

Escrevi esse artigo para te dizer que os riscos colocam a VIDA e a MORTE diante de você! Eu já fiz minha escolha. E você?

Fonte: https://www.linkedin.com/pulse/riscos-uma-quest%25C3%25A3o-de-vida-ou-morte-pedro-s%25C3%25A1/

Os comentários foram encerrados, mas trackbacks e pingbacks estão abertos.