Nova estatística divulgada. Notamos que a situação do roubo de cargas no país se agrava

Autor: Leonardo C. Souza

Especialista em Gerenciamento de Riscos na Ativa Logística

Estatísticas de roubo de cargas no Brasil apuradas e divulgadas pelo Sistema FIRJAN no mês de março do corrente ano confirmam os dados estatísticos anteriormente estudados e publicados por este que vos escreve, pois revelam a triste realidade brasileira, particularmente da região Sudeste, que acumulou 90,1% dos casos em 2016, onde o Estado de São Paulo acumulou 44,1% destas ocorrências, seguido pelo Rio de Janeiro com 43,7%, Minas Gerais com 2,1% e Espírito Santo com 0,1%.

Considerando a variação no número de eventos entre 2011 e 2016, saímos de 12.124 casos para 22.551, representando uma elevação de 86% e, por mais extremo que este número possa parecer, todas as análises nos levam a crer que a tendência para 2017 é de novo aumento.

Esta estatística do Sistema FIRJAN revela elevação de cerca de 22% no número de eventos entre 2015 e 2016 e a SETCESP (em seminário realizado em 23/03/2017) também divulgou dados preliminares que mostram cerca de 25% de acréscimo no número de eventos em 2016 quando comparado com a ano anterior e, em relação à valores, podemos considerar um prejuízo de aproximadamente R$ 1,5 bi em 2016, ou seja, cerca de R$ 125.000.000,00 por mês ou R$ 4.166.000,00 por dia.

Importante notar que os Estados do Acre, Amapá, Paraná e Roraima não estão considerados nas estatísticas do Sistema FIRJAN e, historicamente, o PR é a quarta UF com maior número de roubo de cargas, posicionando-se após o Estado de Minas Gerais no ranking, ou seja, os dados reais serão ainda mais assustadores quando incluirmos estes Estados e vale destacar também GO, por exemplo, onde roubo/furto de cargas aumentou quase 30% em 2016.

O que podemos concluir, com base nas estatísticas oficiais disponíveis, é que o roubo de carga no Brasil virou um problema crônico e que tende a piorar e já nos destacamos negativamente no cenário global como o país com maior risco de roubo de carga.

Infelizmente, não enxergamos sinais de melhoria no curto e médio prazo, principalmente por causa da falta de investimentos e mudanças na legislação que causam a sensação de impunidade, gerando a falsa impressão, para alguns, de que o roubo de cargas, no Brasil, compensa.

Por estas e outras, continuamos, como gatos e ratos, na briga contra esta malandragem que se instalou no nosso amado e idolatrado Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*